Porque Os Brasileiros São Associados a Amazônia, Carnaval ou Praias ?

Cotidiano

Porque essas questões ultrapassam os limites da seriedade de um povo. O famoso “jeitinho brasileiro” dá calafrios num executivo estrangeiro porque tudo aqui “se dá um jeito“. Ou seja, não é sério e há sempre uma saída não muito ortodoxa. O Brasil é lembrado por futebol, carnaval, Bahia, praia e mulher pelada na praia.  E também pelas favelas.

Só para exemplificar o que estou dizendo, lá pelos anos 1990, quando ainda se usavam parabólicas para ver os canais internacionais, eu assistia a alguns programas da CNN através desse dispositivo. Nos intervalos dos telejornais da CNN, alguns países como Vietnam, Laos, Índia e outros países em desenvolvimento (para não dizer terceiro-mundo), veiculavam peças de propaganda que mostravam um país pungente, moderno e bem longe das características que estávamos acostumados.

Agora, diga a verdade: falar em Vietnam o faz lembrar guerra, vietcongues, carnificina, florestas…. Certo ? Pois é. Essas peças mostravam o contrário do que mostra o cinema americano, exatamente porque procuram atrair investidores.  E só se atrai investidores em países com alguma infraestrutura, seriedade e estabilidade.

A então Embratur, logo contratou uma agência para fazer peças publicitárias sobre o Brasil a serem também mostradas na CNN internacional.

Pois bem. Alguns meses depois essas peças passaram a ser veiculadas no canal. O que mostravam ? Futebol, carnaval, Bahia, praia e mulher pelada na praia.

Entre a modernidade e a tradição, optaram pela tradição.

Dá pra ter orgulho ?

Obs-1.: Viajei muito pela Europa e sempre que me identifiquei como brasileiro, eles lembravam das favelas, do futebol e carnaval. Vale a pena você dar uma olhada num livro chamado “A Terra vista do Céu” (não é o programa de TV, mas o livro). Ali são mostradas as principais imagens aéreas da maioria dos países do mundo. A do Brasil ? Uma favela carioca.

Obs-2.: A atual situação brasileira não permite investimentos estrangeiros.   Só um maluco colocaria dinheiro num negócio qualquer envolvendo o Brasil.

A energia elétrica já era um problema na gestão de Fernando Henrique Cardoso.   Naquela ocasião já se falava que o país não poderia crescer a taxas superiores a 4%, caso conseguisse, porque a energia elétrica aqui produzida não daria conta e haveriam apagões.

Hoje não é diferente.  Estamos pagando pelo atraso.

 

 

Anúncios

Deixe uma resposta